Trabalhe Conosco | Contato

Curiosidades

Conheça Lavras Novas 

Está cansado do estresse do dia a dia e procura um refúgio tranquilo para aproveitar e descansar? A 120 km de Belo Horizonte está Lavras Novas, distrito de Ouro Preto. Roteiro turístico para quem procura paz, o local é um vilarejo entre as montanhas com pequenas casas coloridas em estilo colonial, uma igreja no centro da cidade, cerca de 1500 habitantes,  além de diversas lendas e histórias.

História

Sua origem é controversa: alguns afirmam que o distrito era um quilombo, pelo fato da maioria da população ser negra; no entanto isso não pode ser confirmado.

Os moradores do distrito que fica a apenas 19 km de Ouro Preto, afirmam que a localidade teve início com a mineração de ouro. Era grande o número de escravos trabalhando na região, embora eles não ficassem no local, dormiam na Fazenda do Manso (atual Parque do Itacolomi). Foi a partir do século XVIII que o povoado começou a se desenvolver, já que por volta de 1740 a capela dedicada a Nossa Senhora dos Prazeres já estava construída e devido a imponência da igreja, o povoado deveria comportar um número razoável de pessoas.

A mineração resistiu até meados de 1780 e por ser um ponto de difícil acesso (devido às montanhas íngremes para chegar ao local e a dificuldade de comunicação com Vila Rica), os mineradores foram deixando a região com o passar dos anos. No entanto, um pequeno número de pessoas optou por continuar residindo ali.

No século XIX, manteve-se como uma região isolada e possuía aproximadamente 500 habitantes. Como a maioria dos casamentos eram feitos entre as famílias locais, não existia preocupação com a propriedade de terra e a subsistência era praticada por todos. Para conseguir dinheiro produziam artesanato em taquara, que os homens da comunidade levavam para serem vendidos em Ouro Preto. Com o lucro compravam coisas como sal, açúcar, entre outras que não eram produzidas na região. Fora isso, esse isolamento ocasionou aos moradores uma entonação da fala que quase chega a ser um “dialeto” próprio.

Como não existia uma autoridade instituída, sempre havia um líder natural: alguém que se destacava entre a população por seus conhecimentos e sabedoria. Além disso, o povo de Lavras Novas sempre foi bastante religioso e eram comuns as festas dos santos, especialmente a de Nossa Senhora dos Prazeres.

As mudanças começaram por volta de 1970, quando chegou ao distrito a eletricidade e a televisão. A partir daí, o contato com Ouro Preto intensificou-se e os costumes regionais foram sofrendo alterações. Em 1984 o turismo passou a crescer e atualmente tem papel significativo na renda das famílias do distrito.

Lavras Novas atualmente

Hoje em dia o distrito tem aprimorado sua infraestrutura para atender melhor aos turistas. Há diversas pousadas, bares, restaurantes e por estar localizado no Parque Nacional do Itacolomi, rico por suas belezas naturais preservadas e com uma admirável topografia, atrai os os amantes do ecoturismo, entre eles os praticantes de esportes radicais, como o rapel, trekking, ciclismo e trail. Além disso, o vilarejo é cercado por quedas d’água: são 14 no total. Cinco delas são de fácil acesso e bastante frequentadas aos finais de semana. Entre as mais conhecidas estão a Nossa Senhora dos Prazeres, a do Falcão, a do Castelinho e a dos Três Pingos.

Embora o artesanato em taquara fosse a atividade de toda a comunidade antigamente, hoje é realizado por aproximadamente dez famílias apenas. Há um sério problema com a falta de bambu, uma vez que seu crescimento leva de sete a oito anos e houve um incêndio nos bambuzais de Lavras Novas levando os moradores a buscarem a matéria prima cada vez mais longe. Mas o povoado não quer perder esta tradição e a prática é ensinada na escola para todas as crianças.

Se você gosta de esportes radicais e tranquilidade, não deixe de visitar Lavras Novas!

Veja abaixo uma galeria de fotos da cidade:

 

Voltar